Melgaço


 

 


     Localizada no Extremo Noroeste do País, no Alto Minho, Melgaço é uma bonita vila e é a sede do concelho mais a norte de Portugal. Encontra-se inserida numa região bastante  montanhosa e é banhada pelo Rio Minho, que desde cedo moldou o estilo de vida das populações, que com ele têm uma estreita ligação.

 

     A pequena e tranquila vila de Melgaço cresceu em redor de uma fortaleza mandada construir por D. Afonso Henriques, o primeiro rei de Portugal (1139-85).
O castelo, agora monumento nacional, tem uma imponente torre de menagem e domina o labirinto de velhas ruas e travessas que se entrecruzam no interior das muralhas


    A ocupação humana da região é muito antiga, encontrando-se diversos monumentos megalíticos pelo município, cujo exemplo mais significativo encontra-se em Castro Laboreiro, onde foram descobertos marcas dos povos primitivos que aqui habitaram durante diferentes épocas.

O município é limitado a Norte e Leste pela Espanha a sudoeste pelo Município de Arcos de Valdevez e a Oeste por Monção

 

      O povo na sua maioria tem uma forte ligação aos produtos locais e daí tira a sua subsistência , sendo de destacar o Vinho Verde "Alvarinho" pertencentes á região. Do Artesanato, destaca-se a tecelagem em Linho, a tecelagem em Lã (mantas e tapetes), as alfaias agrícolas e os canastros constituem alguns dos artigos que fazem parte da história secular do concelho.

      Os bordados em panos, toalhas, corredores são diversificados e confecionados sobre linho antigo e os motivos que aplica, no mesmo tom ou coloridos, representam motivos reais-coroas e de cariz popular.

      Destacam-se, os afamados trajes típicos deste concelho, um deles, veste a figura tradicional feminina da aldeia serrana de Castro Laboreiro- a Castreja -, simbolizando, em suas vestes negras, o luto, a saudade, o respeito, e que ainda hoje é usado.

 

      Outro traje característico é o da "Inês Negra", figura lendária e histórica de Melgaço, que deu nome à toponímia da antiga vila e que corajosamente tomou a praça forte de Melgaço aos castelhanos, lutando corpo a corpo com a traidora à pátria portuguesa, conhecida por "arrenegada".

 

DE CARRO

 

Vindos do sul


- A1/A3 Lisboa, Porto, Braga Valença e depois N202 até Melgaço.
- A1/A28 Lisboa, Porto, Viana do Castelo, A27 até Ponte de Lima e A3 até Valença depois N202 até Melgaço.
- A1/A28 Lisboa, Porto, Viana do Castelo, Vila Nova de Cerveira e depois N13 até Valença e N202 a

é Melgaço

 
Vindos da Galiza

- A6 que liga a Galiza ao centro de Espanha.
- AP9 A Coruña
- AP9 Santiago de Compostela
- Vigo A52, saída, As Neves ou A Cañiza, depois direcção Arbo – Portugal
- Ourense A52 saída A Cañiza e depois direcção Arbo – Portugal


DE COMBOIO

 

Nacionais e internacionais, até Valença do Minho
Para mais informações sobre trajectos, horários e tarifas consulte www.cp.pt

 

AEROPORTOS

 

O concelho de Melgaço está relativamente bem situado em relação a alguns aeroportos, nomeadamente aos do Porto (Portugal) e de Vigo (Espanha).

- Núcleo Museológico da Torre de Menagem

- As Ruínas Arqueológicas da Praça da República

- o Núcleo Museológico de Castro Laboreiro

- o Museu de Cinema

- Espaço Memória e Fronteira

- Casa da cultura

- Termas de melgaço

- Centro historico

- Quintas vitivinicolas

- Castelo

- Centro Interpretativo do Castro de S.Caetano

- Espaço Memória e Fronteira

- Palácio da Brejoeira

- Porta de Lamas de Mouro

- Torre de Menage

- Solar do Alvarinho

- Paço do Alvarinho

Muitos os turistas que se deslocam ao concelho para poderem apreciar os sabores únicos da gastronomia local.

A cozinha tradicional desta região é simples mas de grande qualidade, havendo uma relação directa entre os ingredientes colhidos na região e os pratos típicos tradicionais, nomeadamente o cobiçado cabrito assado no forno de cozer o pão, a lampreia com arroz à bordalesa, frita com ovos ou assada, as trutas do Rio Minho abafadas, o sarrabulho, os grelos com rojões, a bola da frigideira, o bolo da pedra, a água d’unto, o bucho doce, as migas doces e os pastéis mimosos. Junte-se-lhe o insinuante presunto, de cor rosa-avermelhada, de Fiães e Castro Laboreiro, e os diversos enchidos, acompanhados com um vinho Alvarinho.

Peixe

- Lampreia com arroz à bordalesa, frita com ovos ou assada

- Trutas do Rio Minho abafadas

Carne

- Cabrito assado no forno de lenha

- Bifes de presunto

- Presunto e enchidos

- Sarrabulho

- Grelos com rojões

- Presunto, de cor rosa-avermelhada de Fiães e Castro Laboreiro

- A bola da frigideira

- O bolo da pedra

Doces

- A água d’unto

- O bucho doce

- As migas doces

- Pastéis mimosos

Vinho

- Vinho Alvarinho da região

 

 

 

 

 

 

Acesso a Outras Regiões

 

 

 

ANUNCIE O SEU
ESPAÇO

Saiba como podemos encontrar os convidados perfeitos para o seu negócio.